O que é Slow Marketing e porque ele é importante para sua estratégia.

O que é o conceito de Slow Marketing

A maioria das pessoas relaciona marketing digital com redes sociais, super-exposição e criação de muito conteúdo para ter mais visibilidade. Mas eu acredito que isso é uma falácia que mais prejudica do que ajuda a trajetória de donos de pequenos negócios. O que apresento aqui não é só a definição de Slow Marketing, mas também onde ele pode ser aplicado e por que ele é tão relevante nos dias de hoje.

A história do Movimento Slow ou Slow Movement

O termo “slow”, que significa devagar em inglês, passou a ser utilizado em 1986 por Carlo Petrini como uma resposta à inauguração do primeiro restaurante do McDonald’s em Roma. O foco do movimento era a oposição ao conceito do Fast Food e foi essa indignação que deu origem ao Manifesto Slow Food, que hoje é um símbolo de resistência ao consumo rápido e sem consideração dos alimentos.

Com o passar dos anos, o movimento não apenas se consolidou, mas também se expandiu e se diversificou, indo para campos além da gastronomia, como o turismo, urbanismo, religião, educação e até mesmo finanças. Essa expansão pode ser percebida na crescente conscientização global sobre a necessidade desacelerar o ritmo frenético da vida moderna e valorizar a qualidade sobre a quantidade em todas as esferas da vida.

Minha própria jornada no universo Slow começou na educação dos meus filhos, quando descobri o Slow Parenting e a Parentalidade Consciente. Comecei a aplicar esses princípios no dia a dia da minha família, priorizando o tempo de qualidade, a conexão emocional em um mundo cada vez mais acelerado e cheio de distrações. Fazendo isso, percebi uma enorme transformação na nossa dinâmica familiar, com resultados que hoje vejo que vão além da educação, afetando positivamente nossa maneira de encarar a vida como um todo.

Entendendo o Slow Marketing x Marketing tradicional

Eu chamo de marketing tradicional todas as estratégias e táticas que se utilizam de formas de convencer e persuadir pessoas a comprar. Um marketing que contribui para o consumismo desenfreado, sem barreiras morais.

O Marketing tradicional é focado em vender a qualquer custo, usando tudo ao alcance para que as pessoas comprem independente de sua necessidade e vontade. A ordem é quebrar objeções, convencer, persuadir e trabalhar o psicológico para que se sintam desconectadas do todo e queiram comprar para pertencer novamente, e acabar com a ansiedade que foi gerada nelas.

Já o Slow Marketing foca em vender no momento em que as pessoas realmente possam se beneficiar do nosso trabalho, confiando no poder de decisão e discernimento delas. É nosso papel como comunicadores dos nossos negócios não deixar dúvidas e mostrar por vários ângulos diferentes como e quando podemos ajudar.

O objetivo do Slow Marketing é transformar o marketing em um filtro, levando as pessoas certas para a porta do negócio, deixando-as prontas para comprar, sem necessidade de convencimento.

Por que fazer Slow Marketing?

A resposta mais honesta que posso dar a essa pergunta é: Porque ninguém aguenta mais fazer do jeito que é feito hoje.

A mentira mais bem contada para os empreendedores é a de que o marketing só funciona para quem cria conteúdo o tempo todo para as redes sociais. A de que quanto mais você fizer, mais pessoas vão chegar até você.

Uma verdade importante é a de que os algoritmos existem, estão cada vez mais poderosos e são controlados, por poucos, para nos direcionar para onde querem. Outra verdade mais importante ainda é que precisamos tomar de volta para nós criadores, a força, o valor e o poder de nossas criações. E isso só será possível quando conseguirmos encontrar novas formas de fazer marketing, principalmente fora das redes sociais.

A cada minuto são compartilhadas mais de 65 mil fotos no instagram, 575 mil tweets e mais de 280 mil dólares são gastos na Amazon – a cada 60 segundos!* Ou seja, a cada minuto a probabilidade do seu post ser visto fica menor pela quantidade absurda de conteúdos sendo criados na internet.

O que toda informação gera é algo bem óbvio, ela consome a atenção dos seus destinatários. Portanto, como disse Herbert Simon, ganhador do Prêmio Nobel de Economia, a riqueza de informação cria pobreza de atenção.

Isso tudo significa que estamos caminhando em direção a uma era inovadora da criação e compartilhamento de conteúdo. Aqueles que continuarem insistindo nas abordagens tradicionais estão correndo o sério risco de ficarem para trás no processo de evolução do marketing.

O Slow Marketing, além de ser uma abordagem alinhada com os novos tempos, ele também é um lembrete importantíssimo de que:

  • Somos humanos e do outro lado das telas estão outros humanos em busca de conexão e pertencimento;
  • Outro caminho não é só possível, mas também necessário;
  • As pessoas têm o direito de estar no mundo digital e ocupar seu lugar de um jeito respeitoso.

Dê seus primeiros passos no marketing consciente e slow

Clareza e consistência no seu ritmo são os primeiros passos para um marketing mais consciente e slow.  Você pode adquirir o Pequeno Manual de Slow Marketing para se aprofundar no assunto ou conferir um resumo com o passo a passo do Slow Marketing. Espero te encontrar nessa jornada de marketing consciente e slow para criarmos impacto positivo juntos!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×