Você está vendendo por amor ou por medo?

O que você, faz, pede e oferece parte mais do medo ou do amor?

E esta pergunta me fez lembrar deste vídeo ótimo da Jout Jout sobre a Cultura do Medo.

https://youtube.com/watch?v=PEm_6odIA-M%3Fcontrols%3D0%26modestbranding%3D1%26rel%3D0%26showinfo%3D0%26loop%3D0%26fs%3D0%26hl%3Den%26enablejsapi%3D1%26origin%3Dhttps%253A%252F%252Fwww.slowbusinesshub.com%26widgetid%3D1

Justamente por vivermos em um país e em uma sociedade onde o medo é uma avalanche que nos soterra 24h por dia, é impossível viver sem ter medo.

E quanto mais vivemos e mais colocamos esforços e energia nas coisas que fazemos, mais o medo aparece, como esse muro instransponível e paralisante que a Jout Jout explica tão bem neste vídeo.

Não sei você, mas eu sinto que o medo é sempre proporcional ao meu sucesso: quanto melhor vai minha vida (saúde, negócios, família, relacionamentos) mais medo tenho: de morrer, de adoecer, de perder tudo, mesmo que não exista absolutamente nenhum motivo real e aparente de que isso vá acontecer.

Mas ao mesmo tempo, existe esta outra força – o Amor – que impulsiona e transforma. E vejo o quanto ele é abundante ao meu redor.

Quando o amor vence o medo, consigo enxergar e receber coisas que não enxergava e não recebia por causa do muro do medo.

Só que acredito que é impossível viver só vibrando no amor, o tempo todo.

Pensamentos geram nossos sentimentos que geram nossas ações, e como sou defensora ferrenha de termos mais consciência de nós mesmos, quero que olhem para este diagrama:

A vida está sempre em movimento. É infinito.

No símbolo do infinito as linhas se encontram no centro, que representa o meio, o equilíbrio, o momento onde as linhas se transformam em um único ponto.

Este ponto é o amor. E sua vida sempre vai oscilar, de um lado para o outro, mais perto ou mais longe do centro.

Quanto mais longe, mais medo e menos amor. Quanto mais perto, mais amor e menos medo.

Se você fechar seus olhos agora e pensar em uma decisão que precisa tomar, onde acredita que está dentro da linha do infinito? Se afastando do amor, a caminho do medo, ou se aproximando do amor?

Este exercício tem me ajudado a entender onde está meu sentimento em relação ao que quero fazer.

Ao ter consciência de quanto longe estou do amor, busco formas de me aproximar do centro, ouvindo mais minha intuição: Como me sinto em relação ao que estou fazendo agora?

Tá, mas o que isso tem a ver com vendas?

Vender pelo medo é totalmente diferente de vender por amor.

Se estamos em uma sociedade com uma mentalidade baseada no medo, precisamos nos perguntar como seria nosso negócio se tivéssemos uma mentalidade baseada no amor.

Amor a nós mesmas. 

Amor às pessoas que queremos servir. 

Amor ao nosso produto ou serviço.

Esse amor nos permite atuar com mais compaixão e confiança. Abre caminhos na nossa mente para termos mais coragem, mais criatividade e ideias.

Quero te convidar a refletir:

  • Qual é a sensação que te gera, vender por medo?
  • Qual é a sensação que te gera, vender por amor?
  • Como seria seu processo de vendas se você não tivesse medo?
  • Quanto o seu processo de vendas hoje está diferente do que imaginou na pergunta anterior?

Ninguém está isento do medo. Só que estamos rodeadas de amor e talvez seja só o caso de começar a enxergá-lo!

Compartilhe suas experiências de tomadas de decisão por amor ou por medo. Vou adorar saber!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×