Perguntas certas para escolher seu Webdesigner

Não fique mais no escuro! Saiba as principais perguntas que você precisa fazer para escolher um webdesigner para sua iniciativa.

Eu acredito na liberdade e na autonomia do ser humano. E quando vejo pessoas “amarrando” outras através que sabem, fico muito incomodada.

A filosofia da liberdade de escolha, de ir e vir permeia todas as minhas ações dentro da Como Ser Digital. Tudo o que faço para minhas clientes não é meu. É delas.
Eu sou só uma ferramenta de realização de algo maior, a concretização de uma ideia no âmbito digital.

Essa filosofia é muito bem representada pela figura da construção de um site. Sem querer simplificar demais, mas simplificando é assim: Você tem uma ideia e uma mensagem e precisa que elas se unam em um formato bonito que possibilite a propagação na internet. Isso é um site.

Por mais simples que pareça, fazer isso dá um trabalhão e requer sim muitos outros conhecimentos, além da ideia e da mensagem.

E é aí que a coisa começa a pegar….

Você decide fazer seu site, construir sua casinha virtual para colocar sua mensagem para o mundo. Busca uma agência, uma empresa ou alguém que saiba fazer isso.
Conversa com a pessoa e sai com mais dúvidas do que antes, sem uma noção clara de como e o que contratar desses profissionais e de como vai ser isso tudo depois de pronto.

Primeira coisa que quero te dizer: Tá tudo bem você não saber, ok? Não estamos nesse mundo para saber tudo. Sua mensagem de transformação é maior do que o simples fato de você não saber o que um site precisa ou não ter.

Segunda coisa: você está prestes a resolver esse problema, porque nesse post vou te contar e te falar o que você precisa saber para contratar o webdesigner ideal para você!

Primeiro ambiente-se com os principais conceitos e nomenclaturas importantes antes de começar a fazer as perguntas:

SITE é conjunto de informações e/ou páginas  que apresentam seus produtos ou serviços na internet.

DOMÍNIO é o seu endereço ( ex.: www.seusite.com)

HOSPEDAGEM é o lugar onde você vai construir seu site ( imagine que você está alugando um terreno para construir sua casa, a hospedagem é o terreno)

RESPONSIVO é um site que abre bonitinho em todas as telas (computador, tablet e celular)

CALL TO ACTION são frases, botões e designs que direcionam o usuário a entrar em ação no seu site. É aquele botão que diz QUERO SABER MAIS ou uma frase que convida FAÇA UMA SESSÂO GRATUITA.

Certo?

Com isso na cabeça, ou em mãos, vamos às perguntas principais que você deve fazer antes de contratar seu web designer.

Pergunta 1: Você é especialista em que tipo de site?

Basicamente existem 4 tipos de site:

  1. Institucional – que é para empresas que tem a página principal, uma página falando dos serviços, uma página com um formulário de contato e demais páginas que formam um site – normalmente são 5 ou 6 páginas
  2. Blog – para pessoas que querem falar sobre seu estilo de vida, ser influencers. O blog é um site que deixa você escrever textos nele.
  3. One Page – Um institucional simplificado onde todas as informações estão em uma única página com um único call to action no final.
  4. E-commerce – o nome já diz – é loja virtual. Uma gama completamente diferente das três primeiras

Mas Ana, por que essa informação é importante?

Cada tipo requer uma visão diferente porque sites tem diferentes objetivos que vão de acordo com o momento que sua empresa está vivendo hoje.

O site institucional por exemplo, precisa ser profissional, passar credibilidade e seriedade, tem uma ordem lógica e esperada para os usuários. Sua principal missão é posicionar a empresa, mostrar o que ela é e o que ela não é e servir como uma plataforma de relacionamento, com FAQs, FALE CONOSCO, a história da empresa.

Já o site One Page deve ser rápido e assertivo. Sua missão é fazer a pessoa entrar em contato com você ali, naquele momento. Acertar o usuário como uma flecha e fazer ele entrar em ação em poucos minutos.

Para um blog é preciso entender melhor a essência da pessoa que vai escrever ali. É uma postura mais informal, e seu principal objetivo é engajar.

Para o ecommerce tem que ser uma pessoa que saiba muito de integrações e ferramentas de otimização de lojas virtuais.

Também é comum sites institucionais e One Page com Blogs de conteúdo.

Pense que tipo de site você precisa e busque empresas que você perceba que poderiam entregar o melhor resultado.

Pergunta 2: Como é o seu processo de criação depois que a gente fechar?

Saber como é o fluxo de trabalho da pessoa que você vai contratar é muito importante. Aqui na CSD tenho a reunião de briefing com um questionário de perguntas sobre branding, missão, visão e valores, referencias de outros sites, ídolos e inspirações.

Meu processo começa tentando entender e imaginar como a pessoa imagina o seu próprio site. Esse fluxo tem um tempo para acontecer e é importante você saber como ele é antes de fechar. Quantas reuniões vamos fazer? Quantas revisões tenho direito? Vou poder acompanhar o andamento – ir olhando como está o site?

Não deixe de participar do processo para que o resultado seja o mais próximo possível do que você mesma imaginou.

Pergunta 3: Em quanto tempo você me entrega o site depois que eu te passar todo o conteúdo?

Para um site ser entregue o webdesigner precisa do conteúdo. Os textos falando sobre sua iniciativa e seus serviços, seu logo e imagens da marca, os dados de contato – enfim – todas as informações que vão ser colocadas no site e que devem vir de você.

Considerando que você tenha passado para ele todo o conteúdo e considerando que ele utilize a plataforma WORDPRESS, um site não deve demorar mais de 15 dias para ser entregue. Veja bem – estamos falando de sites para pessoas físicas e pequenas empresas.

Se ele diz que vai demorar muito mais do que isso, depois que todo o conteúdo está na mão dele, você está entrando na fila do designer. Ou seja, ele tem outros sites na frente do seu e vai fazer o seu assim que terminar os outros.

Pergunta 4: Quanto tempo de suporte grátis você dá depois que o site for entregue?

Site novo é igual casa nova. Sempre tem alguma coisa para melhorar e só usando você começa a ver onde estão os probleminhas e onde é preciso ajustar.

Um suporte mínimo de 30 dias é uma boa prática que seu webdesigner pode adotar depois da entrega final.

Nesse período, alterações pequenas, problemas de funcionamento e ajustes devem ser gratuitos. Peça para que essa informação seja colocada claramente no contrato.

Pergunta 5: Você oferece serviço de manutenção mensal?

Depois que acabam os 30 dias de suporte, é interessante ter alguém na manga para resolver os “bugs” do dia a dia.

Atualizações de tema, plugins, erros na página. Coisas que podem tirar seu site do ar.

Por isso pergunte se a pessoa ou empresa tem um pacote – já pergunte o valor logo de cara – para depois não ser pega de surpresa. Acredite, ter alguém para te assessorar na parte técnica é paz de espírito para você!

Aqui na CSD tenho pacotes de manutenção para clientes que fazem o site comigo. Me envolvo no processo de criação de tal forma que gosto de continuar cuidando do site depois de pronto!

Pergunta 6: Você dá algum treinamento de como usar a plataforma WordPress?

Volto a falar aqui sobre autonomia e independência.

Tem coisas que realmente você não precisa saber fazer, como a manutenção, a configuração e a parte técnica. Mas também sempre depender de um terceiro para tudo não é o cenário ideal para quem empreende sozinha.

Existe um patamar mínimo de conhecimento e envolvimento que você precisa ter com o seu site para mantê-lo saudável. E isso se resume muitas vezes a saber fazer e postar seus próprios artigos e imagens.

Então essa pergunta é importante para saber qual será o nível de autonomia que você vai ter para tocar o dia a dia do site e se essa contratação não vai terminar sendo um trabalho de amarração onde você nunca mais vai poder se livrar da empresa que está contratando.

Peça para eles te ensinarem a fazer seus posts, e a deixá-los otimizados para SEO (buscadores).

Minhas clientes na maioria, querem saber como coordenar seus artigos dentro do site. Por isso meus pacotes tem as aulas de como usar o painel do worpdress.
E quando vejo que elas estão caminhando para aprender mais, aconselho fazer um cursinho básico de wordpress para aprenderem a administrar o site.

E finalmente…

O preço. Sim, esse elefante branco que assusta todo mundo.

Preço de site é relativo. Faça no mínimo 3 consultas e que uma delas seja com um freelancer.

Duvide de ofertas muuuito baratas. A não ser que você já conheça o trabalho da pessoa, tente ir com quem tem um preço médio e que a forma de trabalho seja alinhada com a sua.

Fuja de sites gratuitos que limitam seu crescimento mais para frente. E dê chances para quem também esteja começando.

Aqui na CSD sempre tive a sorte de trabalhar com pessoas muito alinhadas com minha personalidade e ritmo.

Cada site teve sua história e me trouxe enormes aprendizados.

O principal deles que quero compartilhar aqui com vocês é: nenhum site é e nem deve ser igual ao outro.

Somos únicos e nossa presença digital deve conseguir traduzir isso. A criação de um site deve ser um processo fluído e um projeto de co-criação com seu webdesigner. Curta esse processo!

Se esse post foi útil para você, compartilhe!!

 

 

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conheça a Ana

Eu só quero que você consiga fazer um marketing que não te afoga, mas que te leva mais longe!
Eu busquei e hoje vivo essa realidade.

 

Vamos nos conectar!

QUER SABER AS 5 PRINCIPAIS FERRAMENTAS QUE USO PARA ADMINISTRAR MINHA EMPRESA?

Copyright © CSD Criação e Estratégia Digital Eireli • Legal • Design do site por mim!

Pin It on Pinterest

Sharing is caring!

Se curtiu esse post, compartilhe!